PLO cada vez mais distante

Ofício ao governador e agora ‘apoio’ do PT…

notícia dada no site do Sinafresp demonstra uma “estratégia” curiosa para se conseguir o PLO:

“Diretores do Sindicato reuniram-se ontem (28), na Alesp com o deputado Simão Pedro, do PT, e solicitaram apoio do partido ao PLO para corrigir subsídio do governador. (…) Simão Pedro, que integra a Comissão de Finanças e Orçamento, declarou entender justa a reivindicação do Sinafresp e disse que vai trabalhar na Alesp para auxiliar a tramitação do PLO, quando for apresentado. Nos próximos dias, será agendada uma reunião com do Sindicato com a bancada do PT.”

Para quem conhece um pouco do histórico da política paulista vai entender a quantas anda a articulação sindical ou prestígio político dentro da Alesp. Qualquer um sabe que só se aprova projetos com as bençãos do governador, que tem ampla maioria na Casa, além de que o PT é oposição declarada ao PSDB. Portanto, o caminho é completamente outro. Desse jeito um PLO pode sair, talvez, mas no final de 2012. Se sair…

7 Comentários to “PLO cada vez mais distante”

  1. Vou discordar nesse caso específico, Téo Franco, sem dúvida que para aprovar um projeto na AL é preciso apoio da bancada do governo e portanto do governador, mas não há como desprezar bancadas, o trabalho passa por todas, a do PT é a segunda bancada, também se deve conversar, na AL conversar não significa traição. Deve conversar mesmo com as bancadas de dois ou três deputados.

  2. Caro Marcos, no caso presente, nao se falou em traicao, mas da uma nitida impressao de enrolacao, isso da.

  3. Olha, eu li a notícia.

    E, se foram buscar o apoio do PT (E PUBLICARAM A NOTÍCIA!!!), de duas uma: ou o PLO já era ou o governo não tem maioria.

    Acho que é a primeira opção.

  4. O fato é que a classe (e eu me penitencio por isso também, porque eu votei neles) errou feio ao eleger o grupo que hoje representa os agentes fiscais de renda. Estão confundindo ideologia política dos integrantes da chapa vencedora com os interesses da categoria, daqui a pouco nos farão parecer metalúrgicos do ABC, num “revival” dos anos 70, que parece ser a referência deles de como se portar num sindicato. Só espero que, com o fracasso dessa “estratégia”, tentem nos fazer protestar debaixo de lonas pretas na beira da estrada com a bandeirinha do MST tremulando ao vento. Pronto. Falei. Desculpem-me a contundência, mas é como vejo a situação. Aque ponto chegamos: Chego a sentir saudades da gestão do colega David Torres…

  5. De ficar meio no ar para o Governo que eventual aumento por PLO terá como reflexo algum ganho político do PT por apoiar ou patrocinar o pleito, aí é que não saí mesmo….

  6. Ouvi um comentário de um colega, fiscal externo daqui de Campinas, que encontrei meio por acaso fora do trabalho e que me pareceu fazer sentido, isto é, o de que o percentual para pagamento da PR neste mês de dezembro teria sido uma represália da Administração Tributária contra a mobilização orientada pelo Sinafresp. Eu me surpreendi de não ter pensado nisso antes. Talvez alguém mais aqui também não tenha feito qualquer ligação de causa e efeito entre os fatos. Deixo registrado o raciocínio do colega para a nossa reflexão.

  7. Colegas:
    Creio que estamos meio sem rumo. Devíamos ter um “KIT” PROJETO com redação de:
    a) PLO automático, com previsão de data-base anual e índice de reajuste inflacionário automático dos vencimentos do governador, para acabar com essa história de todo ano ter de brigar por um novo PLO;
    b) PLC, para alterar a LC atual, que não prevê reajuste inflacionário, mas apenas reajuste pelo crescimento real da arrecadação, e NEM ESTE VEM SENDO CUMPRIDO PELO GOVERNO. O valor da cota, pelos §§ 1º a 3º do art. 16 da LC estaria hoje em torno de R$ 2,48 (o Teo já publicou o quadro aqui no Blog), mas o governo só está pagando R$ 1,5604 por causa da trava (vencimentos do governador). Mas de qualquer forma a LC precisa prever o reajuste inflacionário, pois se a economia crescer pouco, o que já está ocorrendo, a cota vai estacionar, e se a inflação voltar, isso é uma guilhotina pronta para descer no nosso pescoço, sobretudo dos que estão abaixo do teto. Precisamos incluir no PLC o fracionamento do NB (2800, 3200, 3600 cotas com elevação a cada 6 meses, de modo que no 19º mês o AFR iniciante estaria automaticamente no Nível I e “estagiário” durante 18 seria um luxo para o governo, em nenhuma empresa privada se chega a tanto); acabar com a FB; elevar a velocidade das promoções, etc. Escrevi VÁRIOS artigos sobre esses assuntos, estão as REFLEXÕES SOBRE A CARREIRA FISCAL.
    c) PEC, para uniformizar o TETO ESTADUAL, para elevar a carreira ao nível do Poder Judiciário, pois hoje AFR é servidor de segunda linha. E é do nosso trabalho que dependem os orçamentos de todas as demais Secretarias do governo.
    Esse kit COMPLETO, com textos e tudo, deveria ser apresentado ao CAT, ao SECRETÁRIO DA FAZENDA, ao GOVERNADOR, às LIDERANÇAS DO PSDB e de TODAS AS BANCADAS, inclusive a do PT. E também aos principais candidatos cogitados para concorrer às próximas eleições MUNICIPAIS, sim, porque embora não seja da alçada deles, eles exercem influÊncia sobre as suas bancadas estaduais, e se o governo da maior cidade do Brasil mudar de mãos agora em 2012, será um sinal AMARELO PISCANTE para o governo estadual: ou eles passam a olhar muito bem para os lados, ou podem ser atropelados nas eleições de 2014 e perder até o governo de São Paulo.
    Agora, ações isoladas… sem estratégia… só para cutucar a onça com vara curta… isso é bobagem. E das grandes.
    Abraços e boas reflexões a todos.

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: